O homem pode fazer mil planos…

O homem pode fazer mil planos…

É um texto bíblico muito conhecido, que se conclui afirmando – e eu acredito -… Mas a resposta vem do SEBHOR. Foi assim, contrariando tudo,  planejei terminar minha vida de peladeiro nos jogos da CAIXA, que acontecem agora de 12 a 15.09.2013, em Rio Branco. Treinei duro e tão bem, que tinha que me justificar sempre de onde me vinha tanto fôlego para correr. E eu corri, fui insistente, mas fui vencido pela icterícia e a alarmante acusação do médico  (até escreveu) que eu estaria com incipiente barriga que não tenho coragem nem de repetir.

Eu tenho sim, um sonho sim… Talvez esteja pirando porque me vieram aquelas músicas de filmes de desenho. Você não tem um sonho;>~ç^ÇL<~çl,;;.. Não há interrogação nessa pi… Como sei que ninguém lê isso, eu faço o que quiser. O fato é que eu teria todas as motivações. Voltaria ao meu Estado (Acre), jogaria no mesmo campo em que há 35 anos fiz um gol na final de um campeonato e… Jogaria para minha filha Daniela e meus dois netos que ainda nem conheço pessoalmente. De quem lhes privei convívio. É uma longa historia.

Na minha cabeça estava tudo montado, com direito a novos gols e porque não o decisivo. Nem vou atrás do ponto de interrogação. Até pensei em prestigiar um pouco mais, acendendo a tocha olímpica. Quanta pretensão! Mas quem não sonha… O gol seria um passe do Paulinho. Hoje estou tão convicto de que ninguém lê isso que vou anexar um foto de um tempo em que eu contribui generosamente para os meus atuais problemas de fígado. Não poderei ser processado porque posso provar que ninguém vê esses escritos.

Curioso sobre a foto, seria que havia a disputa de quem terminasse primeiro podia receber o chope que esta a frente. Brincadeirinha… Mas houve esse lance (dois pontos) – Queremos um chope… – Mas… Senhor… Isso seria um banco… – Então manda tirar aquela placa BAR Merindus Ah, hha e rrsss também. O que posso afirmar vai no sentido de que mudei da água pro vinho, ou seja, literalmente  do vinho pra água. Trata-se de uma outra foto bem mais comportada e recente. Hoje, se falo que joguei peladas em muitas partes, de igual modo vejo sem orgulho tantos fotos com um copo de algo com pouco ou muito teor alcoólico

Saiba, Dany, que papai vai se esforçar para criar outra oportunidade de viver esse momento, digamos mais esportivo. Nem que seja com  fígado novo… Ainda que não tenha desistido de assistir esse evento e torcer pelos colegas aqui do Amazonas, que me adotaram.

Continuando, Dany, eu cometi muitos equívocos. Para muitos desses ainda tento me perdoar, porque não tenho certeza se receberei dos outros esse sentimento.  Sabe um grande momento foi quando você me deu a honra de leva-la ao altar, em uma dia especial em que me senti realizado. Foi como simbolicamente uma borracha tivesse sido passada. Depois o tempo e a distância  nos afastou de novo. Ah, vou anexar uma foto. Vai me processar também!!! Onde se vê exclamação, leia-se interrogação… (Falo isso pelo direito de imagem). Mas que se dane, digo isso pro Paulinho… Desculpa, Dany.

Sabe o meu ultimo equivoco: ><:MKLÇ^PO;.,’12334545678890–= ;. Foi na ultima eleição pro Sindicato dos Empregados Bancários. Para economizar, como diria o Valdo, eu estaria no time errado… Ainda hoje sou traumatizado, menos pela derrota.

Vou contar uma historinha que aconteceu em 1965, com um cidadão-trabalhador simples, simplório, empregado da grande PETROBRAS, quando, após o golpe militar (revolução para alguns) se nomeou interventores. Um militar – Então, o Sr. é um agitador… Um comunista… – Não… eu não sou nada disso… O militar, educadamente. – Confessa… – Se o Senhor se refere à melhoria das refeições, então comunismo é a melhor coisa do mundo… Foi banido do mundo político, mas em 1989 readquiriu os direitos políticos e foi readmitido na empresa.

Este foi meu pai, Raimundo silva, explicou-me que se envolveu com sindicato e reivindicaram melhoria na alimentação porque havia uns três níveis. O ultimo tipo de broca (é comida) cachorro não comia nem apanhando… Acreditem meu pai era um homem muito simples.

Sabe Dany, eu conheci meu pai somente aos dezoito anos, mas foi alguém de quem eu sentia muito orgulho. Talvez eu não mereça ouvir isso de você. Estou com muito desejo de reencontra-la, que creio será em breve. Acho que terei que passar para o seu e-mail, pois ninguém lê esta pagina. Nem eu para corrigir, e estou escrevendo ao vido e em cores (verde ou amarelo), diretamente para ninguém…

Otaniel

Leave a Reply